(Carla canalizando)

Eu sou Hatonn. Eu saúdo todos com o amor e a luz do Criador infinito. Eu e meu irmão Oxal estávamos tentando falar por meio do conhecido como N, com o fim de aumentar a autoconfiança dele para os momentos em que for o único canal em uma meditação em grupo. Neste momento, tentaremos mais uma vez iniciar esta meditação por meio do instrumento conhecido como N. Eu sou Hatonn.

(N canalizando)

Eu sou Hatonn. Saudações, meus amigos, com o [inaudível]. Eu e meus irmãos estamos imensamente felizes por vocês terem se reunido aqui nesta noite para buscar a verdade. Sabemos que há muitas formas de fazer isso, e é [inaudível], meus amigos, que sempre buscamos a verdade [inaudível], por ser como uma barreira, digamos assim; e muitos caminhos desembocam e se cruzam nesta [forma] em particular. Aproveitem este momento para reunir cada uma de suas vibrações para que neste esforço de grupo vocês possam sentir mais facilmente a luz do Criador que está dentro de cada um. Vocês podem até mudar de rumo e aparentemente se distanciar do verdadeiro desejo de conhecer a verdade e o amor, mas não podem ir longe o suficiente para escapar do amor do Criador, porque Ele não se esquece de ninguém, Ele é todo mundo. Nas camadas profundas da ilusão flui a verdadeira vida. Todo o conhecimento que desejam obter já está dentro de vocês, meus amigos. Vocês só precisam descobri-lo – tal como já fizeram.

Nós da Confederação dos Planetas a Serviço do Criador Infinito sabemos dos problemas que afligem este planeta [inaudível]. Lembrem-se de que para todo problema há uma solução, meus amigos, e, mediante a prática da meditação, respostas a esses problemas lhes serão reveladas. Não importa quem sejam, não importa quão obscuros possam se sentir, o amor e a luz estão em cada um de vocês e todos resplandecerão. Vocês só precisam desejar isso para acontecer. Pode ocorrer durante a noite enquanto dormem ou pode levar mais tempo – o momento é irrelevante. Se realmente buscarem o amor por esforço próprio, serão recompensados.

Eu agora vou transferir este contato. Eu sou Oxal. Eu os deixo na luz e no amor do Criador infinito.

(Carla canalizando)

Eu estou com este instrumento. Eu sou Oxal. Continuaremos por meio deste instrumento, se tiverem paciência, pois devemos condicioná-lo brevemente, visto que está tentando equilibrar nosso contato. Acreditamos ter um contato melhor agora. Continuaremos.

A mente de vocês está cheia de muitas coisas, meus amigos,... Como estávamos dizendo, este mundo está cheio de palavras, cheio de armas, cheio de negatividade neste momento, neste continuum espaço/tempo de sua ilusão. Vocês estão praticando neste momento a única sabedoria conhecida pelo homem: estão em silêncio, [em busca] do Pensamento único que criou todos e ao qual todos vocês, o Pensamento original, o Criador pertencem, que é o amor, meus amigos.

Agora vamos contar uma breve história para ver se conseguimos fazer com que apreciem mais a meditação e a arte do silêncio.

Era inverno, e sob o frio [inaudível] um pinheiro soltou uma semente no chão. Quando a primavera afrouxou a terra, o [inaudível] a abençoou. A semente virou broto e, com o passar do tempo, o pequeno pinheiro começou a crescer. Muitas coisas relacionadas a ele ocorreram: houve um incêndio florestal, não muito longe dele, e ele sentiu a agonia de muitos de seus irmãos; lenhadores mataram outros de seus irmãos mais velhos e, novamente, o pinheiro sentiu a dor deles. Eles não falavam, mas sempre estendiam dedos vivos para o céu como se quisessem tocar o sol, pois todas as coisas da Natureza sabem se voltar para o sol, embora elas não chamem isso de amor, por não usarem palavras. E elas não morrem; o grande Sol, símbolo de amor e de luz, é para elas sua fonte.

Certa vez, um garotinho mudou-se para perto dessa floresta. Ele passou a se importar com o pinheiro e a lhe querer muito bem. Em um Natal, ele arrastou o pai até a árvore e implorou-lhe que a levasse para casa como uma árvore de Natal. O Pai, que gostava muito do menino, obedientemente desenterrou a árvore, colocou-a em um saco e, depois do Natal, plantou-a ao lado da antiga casa da família. O menino e a árvore cresceram juntos. Ele, antes tão infantil, tornou-se adulto e cada vez mais sábio; e à árvore fazia muitas perguntas, por se sentir muito próximo a ela. A cada pergunta, o pinheiro, que havia crescido quase à altura da casa, levantava os dedos para o céu apontando para o reino do Criador.

Na velhice, ele finalmente descobriu que havia apenas uma resposta a todas as suas perguntas, e esta estava no reino de Deus e não no reino dos homens, por este haver palavras. E descobriu que não há respostas senão apenas aquela que é.

Antes de morrer, ele pediu à família uma coisa apenas: “Estou pronto para dar adeus a todas as coisas deste plano, pois amo todos vocês e não tenho inimigos; e não há mais nada que eu deseje, só gostaria que me enterrassem perto da minha amiga”. Seus familiares olharam confusos, pois não sabiam que ele tinha uma amiga. Ele então disse: “A árvore, a árvore calada ao lado da casa”. E foi assim que, na eternidade, ele e o pinheiro se tornaram um só.

Qualquer coisa que dissermos, meus amigos, será frivolidade, porque as palavras não conseguem revelar nada de importante. Falamos por intermédio de instrumentos como este na esperança de dar o encorajamento e a inspiração para vocês buscarem, por meio da meditação, a verdade, a Criação. Nós, bem instruídos no amor e na luz do Criador infinito, somos tão impotentes diante de vocês quanto as árvores apontando os dedos para o reino de Deus. Podemos mostrar o caminho, mas não podemos dar o desejo de buscar. Vocês estão aqui nesta noite em razão desse desejo. Tenham esse desejo diariamente, meus amigos. Continuem em suas buscas e verão que o caminho ficará cada vez mais leve e suas perguntas se tornarão cada vez menos frequentes.

Eu agora vou deixar este instrumento para que um de meus irmãos possa falar. Eu sou Oxal. Adonai, meus amigos. Eu os deixo no amor e na luz do Criador infinito.

(N canalizando)

Eu sou Hatonn. Eu estou com este instrumento. Saudações novamente…

Quando dizemos que vocês vivem em uma ilusão, muitas pessoas se sentem por vezes como se não tivessem nenhuma razão para viver além daquelas aparentemente sem importância. É verdade que vivem numa ilusão. Como sabem, os objetos vistos a partir deste planeta não são a mesma coisa, não são o que realmente parecem ser. Eles são compostos por unidades muito menores – chamadas por vocês de átomos – que se unem, dando a ilusão de serem sólidos.

Talvez se perguntem por que estão aqui então, neste mundo ilusório. Meus amigos, se realmente não desejassem estar aqui, não estariam. Podemos comparar este planeta a uma escola com muitas lições a serem aprendidas por meio de experiências. A única diferença é que nas escolas da Terra se recebem notas, já no plano do Criador infinito se recebe a experiência de aprender. E quando se aprende, meus amigos, evolui-se.

Neste momento, eu e meus irmãos gostaríamos de lhes enviar o que chamamos de onda de condicionamento. Nós tentaremos fazer com que percebam nossa presença intensificando nossas vibrações, digamos assim. Faremos agora uma breve pausa. Se desejarem, tentaremos fazer com que notem nossa presença.

Pausa

(N canalizando)

Estou com este instrumento novamente. Eu sou Hatonn. Foi uma grande honra e privilégio falar com vocês nesta noite por meio deste instrumento. Meus amigos, esperamos sinceramente que tenham se beneficiado com esta meditação. Caso desejem [inaudível] nossa presença, devem apenas demonstrar interesse e estaremos com vocês onde quer que estejam. Enviamos-lhes o nosso amor e nos retiramos agora. Eu sou Hatonn. Adonai vasu borragus.

(Carla canalizando)

Eu sou Latwii. Eu os saúdo com o amor e a luz do Criador infinito, como fazemos todos nós da Confederação; não temos escolha, pois isso é tudo o que há.

Meus amigos, eu venho até vocês apenas para oferecer meus serviços em caso de haver alguma pergunta para nós neste momento. Se sim, perguntem agora.

Temos uma pergunta de alguém que não está presente neste momento. Gostaríamos de expressar nosso amor e constante dedicação à conhecida como S, por neste momento se encontrar fisicamente sozinha em sua busca. Sabemos que ela voltou a se confortar com nossa presença, e estamos muito felizes por termos conseguido restabelecer o contato com ela. Nós de Latwii e o conhecido como Hatonn fomos solicitados a monitorar os desejos dela, para que ela possa obter o conforto de nossa presença sempre que necessário. Não podemos dizer as palavras que a conhecida como S deseja neste momento, mas sabemos que ela vai entender que isso tem a ver com seu livre-arbítrio; as nossas mãos metafísicas estão, portanto, atadas. Mais uma vez, à irmã S enviamos o nosso amor.

Alguém deste grupo tem alguma pergunta a fazer neste momento?

Pausa

Eu sou Latwii. Meus amigos, eu acho que estou perdendo o jeito, pois não consigo responder a nenhuma de suas perguntas nesta noite. Ofereço-lhes, então, meu amor e meus agradecimentos pela paciência que tiveram – a conhecida como S estava ávida por nossas palavras. Eu agora me retiro deixando-os no amor e na luz, como sempre. Que possam encontrar alguma risada pelo caminho. Adonai, meus amigos. Eu sou conhecido por vocês como [Latwii].